Páginas

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Diferenças entre os Atos dos Apóstolos e os “atos proféticos” dos apóstolos modernos


A primeira diferença que gostaria de destacar aqui em primeira mão, é que Atos dos Apóstolos é muito diferente dos atos apostólicos (e muitos!)
Vejamos: 
1)      Os Apóstolos, antes de consagrar um novo ministro oravam primeiro, ao passo que os profetas dos atos proféticos consagram seus ministros consoantes à renda que o membro possui ou contribui na congregação.

2)      Enquanto os Apóstolos ensinavam os cristãos a congregarem-se para receberem a virtude do Espírito Santo,e outros benefícios do Reino, os apóstolos modernos ensinam que podemos ficar distanciados da congregação, chegando até ao ponto de tomarmos Santa Ceia via SEDEX (Correios), desde que tenhamos dinheiro para possuirmos o kit da pseudocéia.

3)      Os santos Apóstolos entenderam desde cedo que não era necessário ser judeu para receber o Dom do Espírito, mas para os pseudoapóstolos dos “atos proféticos” precisam ser considerados alguns “atos proféticos” como tocar o shofar , carregar a Arca da Aliança em seus púlpitos para representar  a “presença de Deus, etc...

4)      Os Apóstolos ensinaram que os “jovens terão visões e os velhos terão sonhos”, ao passo que os modernos ensinam os “jovens a sonhar, e os velhos a ter visões”.Lembrando que quem sonha, sonha com o que já viu (coisas da terra) e quem tem visões, vê coisas que só Deus tem (coisas celestiais). E não é que  os apóstolos modernos estão ensinando os mais jovens, a morar na terra invés de ensinar como morar no céu?

5)      Os apóstolos ensinaram  a invocar o nome do Senhor antes que chegue o grande e glorioso Dia do Senhor, mas os modernos dos “atos proféticos” nos ensinam a invocar MAMOM antes que chegue o dia da pobreza, como se Deus condenasse as pessoas pobres e necessitadas.

6)      Os Apóstolos ensinaram que “Deus derramou do Seu Espírito”, mas os contemporâneos apóstolos falsos entendem que depois do derramamento do Espírito em suas vidas  eles poderiam fazer um “ato profético”, com a sua chamada TRANSFERÊNCIA DE UNÇÃO. Ou seja, Deus me deu, me deixa distribuir/compartilhar um pouco com você. Em nenhum  lugar da Bíblia apoia essa prática, portanto, é antibíblica.

7)      Os apóstolos num momento muito crítico de sua nação tiveram a ousadia de condenar os atos pecaminosos dos governantes de sua época, ao passo que os modernos, aproveitam-se dos momentos críticos da nação para fazer alianças políticas e eclesiásticas com governos corruptos. Preferem “Sabor de Mel” da vingança invés de um confronto  dos erros de seus governantes.

8)      Os apóstolos ensinavam os crentes ansiarem pelo céu, ao passo que os “ungidos”  motivam pessoas a viverem e pensarem somente aqui com suas falsas teologias (prosperidade, confissão positiva, triunfalistas, etc).

9)      Após uma mensagem dos apóstolos os ouvintes sentiam-se confrontados e perguntavam “o que faremos?”, eles responderiam “Arrependei-vos para que sejam perdoados os vossos pecados”, mas hoje após a pregação dos “proféticos” se um irmão perguntar o que devo fazer, a resposta será “leia meu livro, “os sete passos do sucesso”,dê apenas o dízimo e serás próspero como eu, etc....

10)   Enquanto os Apóstolos diziam “salvai-vos desta geração corrompida”, ou seja, RENUNCIEM  vossa antiga maneira de viver, os apóstolos modernos dizem “venham como estão e permaneçam como vieram. Enquanto os primeiros preocupam-se com a quantidade + qualidade,os segundo estão pensando apenas numa quantidade Sem qualidade.



11)      Os apóstolos preocupavam-se com a exposição das Escrituras, enquanto os falsos mestres de hoje estão preocupados com os métodos que funcionam para o sucesso e crescimento de uma congregação. Preocupados com coisas mais atraentes para a carne do que um possível desconforto para eles – entenda-se confronto de seus pecados.

12)      Na igreja dos Apóstolos os crentes tinham tudo em comum, se preocupavam com o bem comum dos outros e os crentes eram chamados de salvos, ao passo que na igreja dos apóstolos de hoje “cada um para si Deus para todos”, ninguém quer saber se um irmão está passando necessidade e os crentes são chamados ( de acordo com a sua contribuição) de parceiros, contribuintes, etc.

13)      Na Igreja primitiva também todos os dias se aumentavam os que se haviam de salvar ao passo que nas igrejas modernas dos atos proféticos cada dia aumenta-se o numero de pessoas a procura de bênçãos de Deus invés do Deus das bênçãos.

14)      O que para os Apóstolos era hora de oração, para os modernos apóstolos é campanha de oração (campanha das 7  sexta-feira,campanhas e mais campanhas).E campanha de oração é muito diferente de hora de oração.

15)      A relação entre os Apóstolos e os crentes de sua época era de irmão para irmão, contrário  dos de nossos dias a relação é de ídolo para fã. Enquanto os Apóstolos a única coisa que eles não tinham era o ouro e a prata- mas tinham Jesus. Para  os modernos o que não lhes falta é o dinheiro, mas em contrapartida não têm Jesus.Os atuais até mesmo tendo o ouro e a prata não querem compartilhar com os santos os seus bens, ou seja até o que eles mais têm não conseguem compartilhar.

16)      “Os Apóstolos quando diziam “olha para nós” era para mostrar a sua miséria, ou seja, sua pobreza material; mas os falsos apóstolos quando dizem o mesmo, querem dizer “ olha como somos ricos, venha e experimente para ser igual a nós”, como se Deus fosse um fabricante de milionários.

17)      Quando um milagre era realizado na igreja primitiva, os Apóstolos diziam que “foi Deus que realizou”, mas hoje quando acontece o mesmo em alguns lugares, dizem que quem fez foi o apóstolo ou a igreja X ou Y. E quando acontecia um milagre e o povo pensarem que os Apóstolos foram os autores de tais sinais, eles reprendiam na hora e davam toda honra e glória ao Senhor,repreendi ao povo por não saber dar glórias a Deus e aproveitavam tal oportunidade de anunciar Cristo, mas hoje em dia a glória tem sido dada aos homens e denominações, infelizmente.

18)      Enquanto os Apóstolos atribuíam os milagres a Deus [Nome de Jesus], hoje os apóstolos atribuem tais atos ás suas instituições sua santidade e sua piedade.

19)      Os Apóstolos ensinavam o povo a ouvir a voz de Jesus, mas hoje, os pseudoapóstolos dizem-se serem os donos da verdade com seus diversos “atos proféticos”.


20)   Os Apóstolos de Jesus foram várias vezes encarceradas por anunciarem e ensinarem o povo a anunciar também, o Jesus crucificado. Mas hoje os apóstolos da mentira são presos por roubos, estupros e tantos outros crimes. Está difícil ver os “ungidos” hoje presos pela causa do Evangelho de Jesus.




21)      Quando questionado para os Apóstolos sobre “ o nome e o poder” de quem eles faziam os sinais e maravilhas, eles respondiam “cheios do Espírito Santo”  que tudo aquilo era feito pelo nome e autoridade de Jesus. E hoje o que se vê é totalmente contrário à isso. Vemos propagandas de “igrejas milagreiras”, “apóstolos milagreiros”, etc, como se existissem lugares específicos para acontecerem sinais e pessoas específicas para tais “atos proféticos”.

22)      A cura de um enfermo para os Apóstolos era um sinal de gozo (por Deus usar eles a ajudarem  alguém necessitado), mas para os “ungidos” de hoje esse é mais um motivo para explorar os “coitados” ao ponto de faturarem deles uma fortuna.

23)      Os santos Apóstolos reconheceram que “em nenhum outro nome há salvação” senão no nome de Jesus. Mas  as “igrejas” dos “atos proféticos” acreditam na existência da salvação da alma mediante as ofertas e dízimos  e tantos outros atos proféticos inventados por eles.

24)      Alguns, ou quase todos os Apóstolos de Jesus “eram homens sem letras e indoutos”, mas falavam ousadamente sobre Cristo e somente de Cristo. Mas hoje temos em nossos dias homens tão letrados  que chegam a se intitular DD(Doutores em Divindade), mas o que eles menos sabem falar é de Jesus.

25)      Quanto ao seu comportamento com pessoas do Reino de Deus, os Apóstolos de Jesus não eram homens de má fama como os atuais APÓSTATAS que são imorais, adúlteros, caloteiros, etc.As pessoas  não sabiam em lhes acusar de algo; mas hoje se alguém entra em nossas igrejas, o que tem de pessoas em dívidas com os outros, é um absurdo. O que tem de igrejas "milionárias", mas com nome sujo na praça, etc.....

26)      Os sinais que aconteceram em Atos dos Apóstolos eram inquestionáveis pela multidão pelo genuíno ensino dos Apóstolos. Mas hoje todos conseguem questionar qualquer sinal miraculoso em nosso meio devido a nossa má conduta dos ditos "ungidos".

27)      Quando pedidos para  nunca mais falarem nem ensinarem sobre o nome de Jesus eles( os verdadeiros apóstolos), disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir antes a vós do que a Deus. Ah, mas hoje se um líder dos “atos proféticos” fosse proibido de anunciar Jesus, com certeza trocaria por qualquer outra proposta que lhe favorecesse. Mas os iletrados Apóstolos disseram “não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido”. Que exemplo maravilhoso!

28)      Os que estão errados nas “igrejas” dos “atos proféticos” não são apenas os seus “mestres”, mas o povo.Sim, o povo será culpado por isso. Temos a Bíblia para consultar e ainda continuamos aceitando tais erros? Acorda povo, esses não são pastores, são mercenários. O povo de Atos “glorificavam a Deus pelo que acontecera aos Apóstolos”, e o povo da igreja dos “atos proféticos” também glorificam a Deus pelos absurdos que seus FALSOS APÓSTOLOS continuam fazendo... Quem está certo agora, se todos dizem dar glórias a Deus? Os povos da Bíblia, é claro!

29)      Por outro, o povo de Atos, “unânimes levantaram a voz a Deus e disseram: “Senhor tu és o que fizeste o céu, e a terra, e o mar, e tudo o que neles há”” ; Mas hoje infelizmente, os crentes das “igrejas dos atos proféticos”, já não reconhecem o senhorio de Cristo nas coisas que acontecem em suas congregações. A glória tem sido dada aos “apóstolos”. E o mais agravante, os apóstolos não repreendem o povo para ensinarem o caminho certo. Triste!

30)   Os Apóstolos entendiam bem quando a questão era crer em Cristo e padecer por Ele, mas os atuais ungidos não aceitam a segunda parte, que é PADECER por Cristo. Porque para eles, quem PADECE no Evangelho é amaldiçoado.

Em Cristo, 
Xavier Campos Joaquim

Publicado originalmente no PREGAI O EVANGELHO