Páginas

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Como identificar seitas e heresias

 Pr.Elienai Cabral


A Palavra de Deus afirma: “Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”, Pv 14.12. Um dos primeiros títulos dados à igreja emergente do primeiro século era “os do Caminho” (At 19.9,23; 24.22). Os adeptos do “Caminho” eram os convertidos ao cristianismo e, como não havia um titulo oficial ou nome dado a esses cristãos, propagou-se o título “Caminho”, porque os apóstolos e pregadores da época denominavam seus ensinos como “os santos e retos caminhos do Senhor”. Especialmente dentro do judaísmo, o “Caminho” era tratado como seita, mas, na verdade, era o único e verdadeiro caminho que o próprio Deus abriu na Terra para direcionar o homem pecador à salvação.

Todos querem o caminho da felicidade. Ao longo da historia da humanidade, muitos caminhos falsos foram construídos através das religiões e seitas surgidas. Para redirecionar o homem, Deus enviou seu Filho Jesus como o verdadeiro caminho que conduz à vida eterna (Jo 14.6). Por causa do pecado, o homem perdeu a direção. O sentido da palavra “pecado” (no grego, “hamartia”) significa “errar o alvo”, “perder o rumo”, “tomar outra direção”. O apóstolo Paulo declarou: “Por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte; assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram”, Rm 5.12. O homem não pode negar a relação do seu espírito com Deus, por isso, mesmo tendo pecado, tem necessidade de Deus.


Lamentavelmente, na busca de satisfazer essa necessidade espiritual, o arquiinimigo de Deus e do homem, o Diabo, tem aberto vários outros caminhos de engano, pelos quais o homem tem caminhado.


I – EXPLICANDO E DEFININDO TERMOS


a) SEITA – Do latim “secta”, o termo significa “doutrina ou sistema que diverge da opinião geral e é seguido por muitos”. Do termo “secta” designou-se na língua portuguesa a palavra seita, que também significa facção, partido. Daí que seita representa uma forma sectária de pensar que vai além do sistema existente.


Toda seita advém de alguma religião ou doutrina. As seitas discordam do ensino básico de uma religião. No contexto histórico do judaísmo, surgiram grupos religiosos distintos e antagônicos, os quais, nos dias de Jesus na Terra, eram conhecidos como a seita dos fariseus, dos saduceus, dos essênios e dos zelotes. Esses grupos se diziam fiéis ao judaísmo, mas discordavam em pontos doutrinários, por isso eram contundentes e até radicais.


b) HERESIA – Esse termo deriva da palavra grega “hairesis” e o seu significado é escolha, seleção, preferência, partido tomado, corrente de pensamento, divisão. No latim, “hairesis” passou a significar “secta”. Portanto, há uma relação muito próxima de significado entre os termos seita e heresia. No Novo Testamento, o cristianismo era rejeitado pelos judeus e tratado como heresia ou seita (1Co 11.19; Gl 5.20 e 2Pd 2.1-2).


Ao longo da historia da Igreja, especialmente nos primeiros séculos, quando as doutrinas básicas do cristianismo começaram a ser organizadas e sistematizadas nos grandes concílios, começaram a surgir, também, as facções teológicas. Algumas das cartas e epístolas do Novo Testamento demonstram a preocupação dos seus escritores com as idéias e conceitos influenciados pelos filósofos da época (1Tm 4.1-5 e 2Pd 2.1-3).


c) DOUTRINA – No latim, a palavra doutrina é “doctrina” e significa “ensino”. Segundo o Dicionário Aurélio, “doutrina é o conjunto de princípios que servem de base a um sistema religioso”. No Antigo Testamento, a palavra doutrina ocorre como tradução do hebraico “Ieqah”, que significa “o que é recebido” (Dt 32.2; Jó 11.4; Pv 4.2 e Is 29.24).

No Novo Testamento, dois termos da língua grega representam a palavra doutrina. Um termo é “didaskalia” e o outro, “didachê”. Ambos os termos referem-se ao ensino como instrução dada àqueles que recebiam de bom grado a mensagem do cristianismo.

A Bíblia especifica três formas de doutrina:
a) Doutrina de Deus (At 2.41-42;13.12 e Tt 2.10)
b) Doutrina de demônios (1Tm 4.1)
c) Doutrina de homens (Mt 15.9 e Cl 2.22)

II – RAMIFICAÇÕES

Alguns ramos do protestantismo são advindos do período do seu surgimento na Idade Media com Martinho Lutero e João Calvino, ou João Wesley e outros. Entretanto, as diferenças de opiniões desses grupos sobre doutrina cristã não afetaram a essência do ensino básico do cristianismo. Portanto, não se constituem em seitas ou heresias. Porém, toda discordância doutrinaria (ou teológica), quando rompe com os fundamentos principais da doutrina cristã, é identificada como heresia ou seita.

“Uma seita pode assumir muitas formas, mas basicamente é algum movimento religioso que distorce ou desvirtua a fé ortodoxa até ao ponto em que a verdade é transformada em mentira. É impossível definir uma seita, a menos que se o faça em comparação com o padrão absoluto do ensino das Santas Escrituras”, escreveu Dave Breese.

Fonte: CpadNews